Clepa

” Colocar as pessoas no centro da transição da mobilidade é essencial para alcançar o Green Deal*  

 

“A eletrificação, em todas as suas formas, é uma grande parte do caminho a seguir, mas uma redução de 100% das emissões no tubo de escape, conforme proposto nas normas de CO2 da Comissão Europeia para carros e camiões, exclui efetivamente as sinergias existentes e soluções paralelas que podem e devem desempenhar um papel numa transição mais “verde e justa”.

Há que reconhecer que o setor de mobilidade engloba necessidades e tecnologias muito diversas. Por isso, o relatório do IPCC tem em consideração o papel que os combustíveis alternativos podem desempenhar, ao lado da eletrificação, na descarbonização da mobilidade rodoviária, especialmente, mas não só, nos segmentos de difícil abate. Assim o relatório, recomenda a adoção de uma abordagem que avalie as emissões de CO2 ao longo de toda a cadeia de valor, e não apenas no tubo de escape.

 

Uma proibição de tecnologia arrisca a perda de mais de meio milhão de empregos em fornecedores de automóveis somente no segmento de “powertrain“ até 2040. 

Também põe em risco a mobilidade acessível e limita a escolha do consumidor. Uma abordagem de “tecnologia aberta”, e que inclua a eletrificação, combustíveis renováveis ​​sustentáveis, tecnologia híbrida, hidrogênio e outras soluções de carbono líquido, deve fazer parte de uma estrutura política equilibrada. 

Devemos ter cuidado para não perdermos a nossa competitividade global e décadas de investimento, ao apostar apenas numa solução, já que podemos deixar de fora muitos cidadãos sem alternativa de mobilidade pessoal.

O principal objetivo, com a transição da mobilidade, deve ser atingir as metas climáticas, enquanto se respeita as diversas necessidades de mobilidade e transporte para todos, independentemente dos meios financeiros.”

Sigrid de Vries

CLEPA’s Secretary General

 

*Grean Deal – Pacto Ecológico Europeu

Para ler o artigo de opinião   AQUI